043 – Nova Canaã do Norte

 

Download do Plano de Saneamento Básico: PMSB_Nova Canaa do Norte

Download do Relatório Técnico: RT_Nova Canaa do Norte

 

População estimada 2015: 12.365 habitantes

População 2010: 12.127 habitantes

Área da unidade territorial (km²): 5.966,196

Densidade demográfica (hab/km²): 2,03

Bioma: Amazônia

Prefeito 2017: RUBENS ROBERTO ROSA

A região teve intensa movimentação na época da ″Terceira Borracha de Mato Grosso″, que cumpriu uma história de penetração e trabalho sazonal e valor. A família Spinelli explorou seringais na região.

As primeiras movimentações com fins de colonização em Nova Canaã do Norte deram-se a partir de 1976. Através do caminho aberto um pouco antes, em 1972, por ocasião da integração da BR-163, pelo 9º BEC, Batalhão de Engenharia e Construção, dirigido pelo coronel José Meireles, notável militar, que mais tarde veio a ser prefeito da capital Mato-grossense.

O primeiro nome do lugar foi Gleba Nova Era, dado pela Imobiliária e Colonizadora Líder, sendo sócio principal o Sr. Raimundo Costa Filho, que é fundador da cidade de Colíder a 50 km de Nova Canaã do Norte.

O primeiro comerciante foi o Sr. Antônio Alves da Silva, conhecido por ″Antônio do Ponto″, e Maria Moreira da Silva a primeira moradora do lugar. Em seguida, vieram os Srs. João Lourenço Máximo e Osvaldo do Amaral, levantando construções onde, atualmente, encontra-se o centro urbano de Nova Canaã do Norte.

O padre Geraldo da Silva celebrou a primeira missa. A professora Maria Creuza dos Santos inaugurou a primeira escola, depois veio a Srª. Eva Dellatesta, que também lecionava na localidade. A escola foi ampliada mais tarde.

O primeiro hotel foi do Sr. José Noivelho, conhecido pelo apelido de ″Zé Novela″. A primeira farmácia foi do Sr. Sinoel e a primeira oficina mecânica foi de Álvaro Guarido. O primeiro dentista prático foi Damião, substituído mais tarde por Joel, também prático. Em 1979, o médico José Wilson iniciou atendimento à população.

A empresa colonizadora promoveu o loteamento dos terrenos na área rural e urbana, no entanto, não teve sucesso na administração da gleba. Não houve estruturação por parte da empresa povoadora na organização da colonização, ocasionando problemas de relacionamento dentro da empresa. Com o assassinato de um dos proprietários da firma colonizadora, Louro Silva Lima, o primeiro arranco povoador da gleba estagnou. Os problemas se avolumaram e a gleba ficou não administrável, saindo o INCRA em socorro dos primeiros moradores, desapropriando legalmente os colonizadores, e assumindo o ônus da empreitada frustrada. Com a desapropriação legal foi criado o PAC – Projeto de Assentamento Canaã conforme decreto lei nº 109, de 26 de abril de 1982. O objetivo principal era promover a regularização fundiária de aproximadamente 3.540 famílias que residiam no Projeto.

Os primeiros moradores procuraram não se abater com os problemas fundiários e se preocuparam em crescer economicamente. O prêmio veio com a criação do distrito, através da lei nº 4.396, de 23/11/1981. Em 1982, foi criado o Cartório de Paz, sendo nomeado primeiro tabelião o Sr. Jair Borges Monteiro, e o primeiro Juiz de Paz foi o Sr. Nelson Guerreiro, antigo corretor de imóveis.

A descoberta de ouro na região deslocou verdadeira leva de aventureiros para o lugar, muita gente nova foi chegando, trazendo consigo intenso movimento ao comércio local.
A lei estadual nº. 4.997, de 13 de maio de 1986, criou o município.

O nome ″Nova Canaã″ foi sugerido pelo então Bispo de Sinop, D. Henrique Froehlich, que quis com esta iniciativa dar a ideia de que ali era a ″Terra Prometida′ aos que vinham a se instalar na região, trazendo sonhos, coragem e muita esperança no futuro.

Em 1993, a lei estadual nº. 6.386, de 28/12/93, introduziu alterações e redefiniu os limites territoriais do município de Nova Canaã do Norte, reduzindo em aproximadamente 50% sua área territorial, que atualmente é de 4.950,64 km2.

Distrito criado com a denominação de Nova Canaã (ex-povoado), pela lei estadual nº 4396, de 23-11-1981, subordinado ao município de Colíder.

Fonte: IBGE

Equipe

Contato

Rodrigo Botelho F. Accioly rodrigo.accioly@pmsb.ic.ufmt.br
Thaisa Camila Vacari thaisa.vacari@pmsb.ic.ufmt.br
Amanda Mateus Ribeiro amanda.ribeiro@pmsb.ic.ufmt.br
Thays Dias Xavier thays.xavier@pmsb.ic.ufmt.br

Comitê (Coordenação)

Nome

Cargo

Representante do Núcleo Intersetorial de Cooperação Técnica – FUNASA
Representante do Governo do Estado de Mato Grosso – SECID
Lismar Alves Ferreira Saavedra Secretaria Municipal de Saúde
Joane Laxara Garcia Martins Machado Secretaria Municipal de Educação
Monica Nascimento Semeler da Silva Secretaria de Assistência Social

Comitê (Executivo)

Nome

Cargo

Leonardo Budke Lage Engenheiro Civil
Orlando Georg Kottle Vigilância Sanitária
Jonathan Santana Rauschkolb Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente
Luis Henrique Pimentel Futil Vigilância Sanitária

 

Etapas Para Conclusão do Plano

Status

Fase 0 – Inicialização do município

Concluído

Definição do comitê municipal (Produto A do TR) Concluído
Sensibilização(articulação FUNASA/AMM com prefeitura) Concluído
Decreto pela prefeitura Concluído
Plano de mobilização do município (Produto B do TR) Concluído

Fase 1 – Preparação do Município

Concluído

Capacitação do Município Concluído

Fase 2 – Captação de dados

Concluído

Contato com prestadores de serviço de saneamento Concluído
Coleta de dados secundários Concluído
Reunião no município Concluído
Formulário geral do município Concluído
Formulário de manejo de águas pluviais Concluído
Formulário do esgotamento sanitário Concluído
Formulário dos resíduos sólidos Concluído
Formulário do abastecimento de água Concluído
Formulário sócio econômico Concluído
Validação dos dados dos formulários Concluído
Cadastro dos formulários no sistema Concluído
Relatório Técnico Participativo Concluído
Levantamento Rural Concluído
Relatório do diagnóstico técnico participativo (Produto C do TR) Concluído
Validação do diagnóstico com o Comitê municipal Concluído
Validação do diagnóstico com o NICT – FUNASA Concluído
Apresentação para o município Concluído

Fase 3 – Prognóstico do município

Concluído

Relatório da prospectiva e planejamento estratégico (Produto D do TR) Concluído
Definição das ações, programas e projetos (Produto E do TR) Concluído
Plano de execução (Produto F do TR) Concluído
Relatório final do prognóstico Concluído
Validação do prognóstico com o Comitê municipal Concluído
Apresentação para o município Concluído
Validação do prognóstico com o NICT – FUNASA  Concluído

Fase 4 – Consolidação dos produtos e aprovação do plano no município

Concluído

Desenvolvimento da minuta de lei municipal (Produto G do TR) Concluído
Indicadores do plano (Item H do TR) Concluído
Sistema de Informação (Item I do TR) Concluído
Consolidação do PMSB (Item K do TR) Concluído