Juara recebe plano de saneamento básico

Os alagamentos trazidos para vários pontos de Juara, como ocorreu, no final de março na Avenida Ayrton Senna, podem ter seus dias contados. Provocados por entupimentos de bueiros e assoreamento de córregos no perímetro urbano, só precisam de obras que deem manutenção ao sistema de drenagem e ampliem a cobertura. A solução do problema é uma das propostas do Plano Municipal de Saneamento Básico entregue terça feira 15 de agosto ao município pela equipe da UFMT/Funasa.
Além de intervenções na drenagem o município terá que investir na disponibilização da água na zona rural, uma vez que na área urbana o fornecimento é adequado. Também vai ter que ampliar o tratamento de esgotos e, principalmente, encontrar uma destinação correta ao lixo, hoje depositado nas imediações do rio Arinos e com risco de contaminá-lo.
A entrega do PMSB ao município foi destacada por Kaio Vilela, secretário de Saúde que acredita numa ampliação da qualidade de vida dos moradores com a aplicação do plano, melhorando os índices de desenvolvimento humano com ganhos na rede de Postos de Saúde. Por sua vez a prefeita Luciane Bezerra reconheceu que o plano “dá uma diretriz sobre como o município precisa se comportar no futuro”, disse. O químico industrial Guilherme Vendrametto, da Concessionária Águas de Juara, que cuida da água e esgoto do município considerou o “plano essencial para o município e também para a concessão, pois ajuda a mostrar o que a cidade precisa”. A concessionária está há 17 anos atuando no município.
A Conferência de entrega do plano marca o final de um processo iniciado em 2015, com um convênio assinado entre Funasa, UFMT e Governo do Estado, em parceria com a AMM, para dotar os municípios com menos de 50 mil habitantes do seu Plano Municipal de Saneamento Básico. Ele foi construído a partir de um decreto municipal que nomeou dois comitês para sua realização o Executivo e de Coordenação que juntamente com os técnicos do PMSB, realizaram um diagnóstico municipal e estabeleceram metas prioritárias para que num prazo de 20 anos os problemas de saneamento estejam resolvidos.